OPINIÃO

Gabriel da Silva Medina é professor associado da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília (FAV/UnB). Coordenador do Programa de Pós-graduação em Agronegócios da UnB (Propaga).

Gabriel da Silva Medina

 

Bioinsumos agrícolas são alternativas sustentáveis para substituir agrotóxicos e fertilizantes sintéticos usados na produção agropecuária em todo o mundo. Estudo realizado por pesquisadores da UnB e de centros de pesquisa da Argentina resume as inovações utilizadas em produtos comerciais no Brasil e na Argentina com base nos dados oficiais e em levantamento com 14 empresas privadas de bioinsumos. Os resultados revelam esforços contínuos para melhorar os produtos tradicionais, como os inoculantes que ajudam as plantas a fixar nitrogênio. Há também formulação de novos bioinsumos, como biofertilizantes que promovem o crescimento das plantas e produtos para controle biológico de pragas. Por fim, a próxima geração de bioinsumos promete ajudar a preparar as plantas para o ataque de fungos e bactérias patogênicas com o uso de fitovacinas, enquanto os bioherbicidas podem reduzir o uso de herbicidas sintéticos para preparar áreas para a colheita e o plantio

 

Acesse a (Figura 1) no que diz respeito às principais inovações em bioinsumos agrícolas sendo desenvolvidas no Brasil e na Argentina.

 

As empresas e os centros públicos de pesquisa desempenham um papel importante nestas inovações que podem sustentar o crescimento da bioeconomia em países em desenvolvimento. Os registros oficiais mostram que tanto as multinacionais estrangeiras quanto as empresas privadas domésticas lideram em número de produtos registrados na Argentina e no Brasil. A pesquisa realizada com as empresas domésticas revela seu protagonismo nas diferentes frentes de inovação descritas neste estudo que podem levá-las a se estabelecer no mercado global de bioinsumos agrícolas. O setor dos bioinsumos é uma oportunidade para os países em desenvolvimento irem além da produção primária de produtos agrícolas e construírem novas capacidades agro-industriais para o crescimento sustentável.

 

Clique aqui para o artigo “Innovations in Agricultural Bio-Inputs: Commercial Products Developed in Argentina and Brazil”, publicado na revista Sustainability em 2024.

 

 

 

ATENÇÃO – O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do autor, expressa sua opinião sobre assuntos atuais e não representa a visão da Universidade de Brasília. As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seu conteúdo.