OPINIÃO

Jaciara Oliveira Leite é graduada em Educação Física pela Universidade de Brasília - UnB (2006). Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2010), Teoria e Prática Pedagógica em Educação Física, Esporte e Lazer em Culturas Contemporâneas. Doutora em Educação pela Universidade de Brasília - UnB (2018),  Educação Ambiental e Educação do Campo. Professora assistente da Faculdade de Educação Física e Dança da Universidade Federal de Goiás - FEFD/UFG. Membro do Núcleo de Didática e Prática de Ensino - Nudipe/FEFD/UFG. Membro do Laboratório Physis de Pesquisa em Educação Física, Sociedade e Natureza - Labphysis/FEFD/UFG. 

 

Marcelo de Brito (Kapish) é graduado  Educação Física pela Universidade de Brasília (1983) e mestre em Educação Currículo e Metodologia pela Universidade de Brasília (1998) e doutor em Ciências do Desporto pela UTAD/Portugal. Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Educação Física em geral, com ênfase em corporeidade, atuando, principalmente, no desenvolvimento de novas abordagens de trabalho corporal onde explora-se temas relacionados com o lúdico, escola, jogo, criatividade, corpo e a meditação.

Jaciara Leite e Marcelo de Brito (Kapish)

 

A vida universitária promove doença ou saúde? O contexto universitário e sua complexa ordem de experiências vêm contribuindo para transtornos à saúde dos indivíduos que nela estudam e trabalham? Os fatos recentes de indivíduos que tiraram a própria vida têm relação com a tensão acadêmica? Podemos fazer algo?

 

Estes questionamentos instigaram um grupo de professores da FEF/UnB inspirados pelo movimento Universidade Promotora da Saúde, que defende a promoção da saúde nas políticas, práticas e componentes curriculares da universidade, a colocar em ação um programa que contribuísse com sua comunidade. Afinal, quando se trata de cursos superiores da grande área da saúde, entre os quais o de Educação Física, esses têm ainda o imperativo de promover a saúde por meio da formação profissional, da produção de conhecimentos e da construção de ambientes e comunidades saudáveis e sustentáveis (NOGUEIRA, 2018).

 

Nessa perspectiva, participamos do Edital Vida Estudantil da UnB (DEG/DEX/DAC N. 20/2018) e fomos contemplados com 12 bolsas para estudantes. O apoio financeiro é condição objetiva para o desenvolvimento da proposta e demonstra o olhar da universidade para as questões da saúde dos/as estudantes.

 

Assim nasceu o projeto FEF Promotora da Saúde e do Desenvolvimento Sustentável, cujo objetivo é promover acolhimento, pertencimento e permanência na universidade. A ideia inicial veio dos professores Júlia Nogueira e Marcelo de Brito, e atualmente o projeto é coordenado pela professora Jaciara Leite. Os/as estudantes bolsistas atuam de forma protagonista na elaboração e oferecimento de atividades de acolhimento e práticas corporais com orientação de professores da faculdade. A partir de uma sugestão dos mesmos, o projeto foi renomeado para FEF Acolhe.

 

O FEF Acolhe fundamenta-se nos eixos da Política Integrada da Vida Estudantil: identificação, acolhimento, acompanhamento, assistência e comunicação. Contrastando com a fragmentação da vida individual e coletiva que marca este tempo histórico, visamos favorecer experiências que compreendem o corpo nas suas diversas dimensões (física, emocional, política, cognitiva, espiritual e social).

 

A inspiração vem do projeto de ação contínua Movi-mente e no decorrer desta recente caminhada, outros parceiros fundamentais foram se somando, como a participação dos professores Américo Costa (equipe de Comunicação), Glauco Falcão (Meditação Zazen) e José Celi Neto (Massagem), bem como o Projeto de Extensão MESCLAR - Lazer e Cultura Corporal, coordenado pelo professor Pedro Osmar Figueiredo (Tatu), que busca uma reflexão crítica a respeito do lazer.

 

A partir dessas parcerias, oferecemos atividades regulares gratuitas, sempre no horário do almoço, com foco nos/as estudantes da FEF, mas que são abertas à comunidade:

 

 

 

Abrimos o semestre participando da já tradicional Semana dos Calouros da FEF/UnB, organizada pelo Centro Acadêmico (CAEdF), com um Banho Sonoro – relaxamento e música ao vivo com instrumentos indígenas, afircanos e orientais – uma parceria com outro projeto de extensão, o MeditaSomm UnB, buscando assim contribuir com a cultura de autocuidado e organização coletiva. Estamos muito felizes pelo convite para participar da Semana Universitária, contribuindo com a programação do Dia da Saúde Mental e do Bem Estar (quarta) e da CriAtiva - III Feira Cultural da UnB (quinta). Estaremos nesses espaços oferecendo as seguintes atividades: defesa pessoal para mulheres, circo, forró, vôlei e twerk (dança urbana).

 

 

 

ATENÇÃO – O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do autor, expressa sua opinião sobre assuntos atuais e não representa a visão da Universidade de Brasília. As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos.